Levantamento topográfico tradicional x levantamento fotogramétrico

O levantamento topográfico de uma determinada área visa obter com precisão os elementos que permitem a elaboração das plantas topográficas. Para isso, são necessárias um número suficiente de coordenadas de pontos da superfície do terreno, utilizando métodos e instrumentos adequados. Sendo a topografia a ciência por trás disso, seus métodos de execução foram se aprimorando ao decorrer dos anos. Com isso, surgiu uma ramificação, a fotogrametria.

Para saber mais sobre o passo a passo de um levantamento fotogramétrico, confira nosso artigo sobre o assunto clicando aqui.

Tanto o modo tradicional (munido de estações totais) como a fotogrametria (que utiliza drones em seu processo) fazem parte da topografia. No entanto, mesmo tendo algumas vezes objetivos idênticos, suas aplicações são diferentes. Esse será o ponto que vamos abordar nesse artigo.

A fotogrametria e a topografia

Imagem com equipamento topográfico tradicional (estação total) versus captura de imagens do solo com drones
Método tradicional de topografia x Fotogrametria com o uso de drones

Com o crescimento da fotografia aérea, essa técnica tem aberto novos horizontes no ramo de análise de dados dos terrenos. Mas apesar da “coqueluche” envolvendo esse processo, nem sempre a fotogrametria é o método mais indicado para realizar seu trabalho.

Precisão em solo

Quando falamos em localizar pontos no terreno, nos referimos a coordenada exata dele em relação ao globo terrestre ou a um ponto conhecido. As duas técnicas de levantamento topográfico conseguem isso. No entanto, a fotogrametria pode obter essas informações de modo mais rápido, com valor mais acessível e uma precisão aceitável para uma grande variedade de aplicações.

A topografia tradicional, quando efetuada corretamente e com equipamentos bem calibrados e conservados, consegue captar pontos com uma precisão milimétrica, o que pode ser necessário em alguns trabalhos específicos. 

No caso da fotogrametria o erro costuma ser maior. Na maior parte dos levantamentos a diferença varia entre poucos centímetros a alguns decímetros dependendo de alguns fatores como altura e velocidade de vôo, qualidade da câmara, homogeneidade do terreno e até a capacidade do profissional responsável pelo processamento dos dados.

Apesar disso um erro médio na ordem de poucos centímetros pode facilmente ser desprezível especialmente tratando-se de grandes áreas. É justamente aí onde a fotogrametria se destaca, pois a rapidez e a quantidade de detalhes captados podem compensar em muito a pequena perda de confiança dos dados.

Facilidade de trabalho

Alguns drones são feitos para serem operados por apenas uma pessoa. Com exceção da montagem do equipamento todo o processo de captação da área pode ser automatizado por software utilizando parâmetros específicos para uma determinada área.Isso pode significar redução de custos com equipe, transporte, alimentação e ainda facilitar o controle de todo o processo.

Visão de solo

A câmera montada em drones só pode mensurar aquilo que é capaz de ver. Nesse aspecto a vegetação pode atrapalhar o trabalho fotogramétrico. No caso do processo tradicional, uma vez que o profissional mede fisicamente o solo em cada ponto que toca, esse problema se torna muito menor. Assim sendo, a presença de vegetação pode ser um dos critérios fundamentais para o uso de técnicas mais convencionais.

Maior detalhamento

Segundo as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), um levantamento topográfico precisa ter, em média, 50 pontos de controle por cada hectare. Como comparação, a fotogrametria capta facilmente mais de 500 mil pontos por hectare, o que significa 10 mil vezes mais detalhes do que o processo tradicional. Por esse motivo, um drone pode executar em poucas horas uma área que levaria alguns dias para ser finalizada por uma equipe de topografia.

Maior Segurança

O drone permite a captura de dados de solo mesmo em regiões inacessíveis ao topógrafo ou agrimensor, o que garante  à equipe de solo menos exposição às áreas de risco ou de difícil acesso resultando em mais segurança ao trabalho.

Ortofoto (ou ortomosaico)

Recurso exclusivo da fotogrametria o mosaico retificado de todas as fotos – como se fosse uma visão do Google Maps – permite realizar medidas e encontrar recursos no solo de maneira muito mais detalhada do que o cadastramento convencional de um levantamento topográfico.

Mesmo em casos onde a fotogrametria não seja a técnica mais indicada para o levantamento a ortofoto pode ser utilizada para complementar os dados obtidos em campo.

Para saber mais sobre o que é ortofoto, confira aqui nosso artigo.

Menor custo

Quando falamos em grandes áreas a economia resultante da menor duração do trabalho de campo em termos de custos de mão de obra, deslocamento, alimentação e hospedagem pode superar o investimento em tecnologia e pós-processamento dos dados a ponto de representar uma economia significativa do custo total do trabalho.

Considerações finais

Enquanto a fotogrametria não pode ser ignorada como uma técnica que pode revolucionar não só o trabalho do topógrafo ou agrimensor, como de outros profissionais em áreas de conhecimento, o desenvolvimento atual da tecnologia não nos permite ainda apontar o fim dos dias do levantamento tradicional.

Contudo, podemos dizer com segurança que há grandes vantagens quando a técnica é utilizada corretamente. A fotogrametria veio sim para ficar e deve ser encarada como uma ferramenta promissora de trabalho por qualquer profissional que pretenda se manter atualizado nesse mercado que está em franca expansão.

Leia mais

O que você achou desse post?